terça-feira, 19 de setembro de 2017

Pode comer com as mãos?

Por que usam talheres se possuem as mãos? Hahahaha
                                                                      




    Em nossa cultura, faz parte da educação ensinar o uso correto dos talheres, mas também é importante deixar a criança conhecer a textura dos alimentos.                                                     
      A criança pequena tem necessidade de sentir os alimentos com o tato até mesmo para ter segurança em que estará levando para a boca. 

   Para ela, o tato e o paladar são meios fortíssimos para conhecerem sabores, aromas e texturas.

  Vamos norteando e naturalmente vão compreendendo o funcionamento das coisas porém, é importante deixá-los explorar. 

   Através da imitação ela compreenderá que comer como o macaquinho com frequência não faz parte da nossa cultura. Não se aflija, saiba que ela com o tempo irá manusear os talheres corretamente. Mas, como tudo tem sua hora, tenha um pouco de paciência.

   Em casa, você pode deixar o mexe mexe mais frequente e quando sair, para não precisar ficar trocando de roupa e facilitar sua vida, deixe um pãozinho ou algum alimento mais sólido nas mãos da criança para que ela possa dar continuidade nas descobertas.

   Mantenha por perto talheres menores para que a criança também possa vivenciar com individualidade o manuseio dos mesmos e assim, com o uso os movimentos vão se tornando mais precisos.

    Quando a criança está entre seis meses e um ano de idade, ofereça talheres de silicone ou plásticos mais grossos para evitar acidentes e mais para frente você vai introduzindo os de metal.

   Coloque atenção no tamanho dos alimentos oferecidos para que a criança não engasgue, mas não deixe de colocar pedacinhos (acompanhe sempre a orientação do pediatra) pois, o exercício dos músculos da face são de fundamental importância para o processo da fala. 

Ofereça diversas texturas sempre e BOM APETITE!



Filhos na cama dos pais



Muitos me perguntam como é na minha casa o processo no momento em que as crianças vão dormir. 

Onde seus filhos dormem? 
O que você pensa a respeito do tema?

Meus filhos dormiram conosco no quarto até completarem 2 / 3 meses.
Sempre fomos flexíveis, em dias mais turbulentos, não hesitamos e os levamos para dormirem na nossa cama.
Não deixamos virar rotina e vou explicar o motivo.
Acredito que por uma questão de desenvolvimento da identidade pessoal as crianças devem ter seu cantinho individual. Não é  um processo fácil para muitos, porém, necessário para o amadurecimento desde pequenos.
Sabemos também dos casos graves de acidentes que são causados quando os pais dormem e as crianças caem da cama deles ou até mesmo quando sufocam seus filhos sem perceber.
Aqui em casa, sempre que necessário, eles tem o aconchego no nosso ninho. Um dia de pesadelo ou de alguém doentinho precisando ficar mais perto, nossa cama está disponível. 
Porém, isso não faz parte de nossa rotina.
Gosto de observar a natureza e ver alguns exemplos que nos ajudam a crescer.
Os passarinhos em seus ninhos, com os filhotes pequeninos impulsionam e ajudam os mesmos a terem coragem para alçar o voo.
Aqui acontece bem parecido. Eles são criados para conseguirem voar sozinhos, mas sempre com afeto, carinho diálogo e escuta.
Na hora de dormir, nós (eu ou meu marido) passamos no quarto da Bianca e do Felipe para dar boa noite e agradecer o dia e depois tchau.
Já teve a fase da história diária, mas hoje em dia esta fica para outro momento. 
Esses limites que colocamos, não existem para restringirmos a corrente de amor entre nós e nossos filhos, mas sim para dar abertura para a vida de confiança neles mesmos.