quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Hoje em dia a palavra Bullying é falada até por crianças pequenas.



Hoje em dia a palavra Bullying é falada até por crianças pequenas.  Por isso, é preciso tomar certo cuidado,  para não ser criado estigma errado.
Apesar de conflitos serem parte de relações humanas, é importante reconhecer o saudável, aquele que faz parte da convivência entre as diferenças, para não sair chamando tudo de bullying.
Na verdade, quero mesmo levantar com vocês, pais, o quanto penso a respeito disso e a necessidade de estimular nossos filhos para se tornarem FORTES.
Fortes para enfrentar uma sociedade egoísta e preconceituosa.
Não podemos ignorar essa realidade bem presente. Faz-se  necessária a utilização de um reforço, no sentido de retirar a atenção do ato em si, ou seja, tentar manifestar, com as crianças, a situação que o agressor coloca como sendo uma “brincadeira de mal gosto”. São momentos essenciais para estimular as crianças no sentido de não serem omissas, frente ao criador das agressões.
O praticante do Bullying costuma ser mais inseguro do que parece, por isso sente-se mais "forte", mais dono da situação, quando age diante da submissão do outro.
Acompanhem seus filhos na escola,  mantenham sempre um diálogo com eles, procurando reconhecer suas ações e companhias diárias, ouvindo-os atentamente.  Contem vocês também coisas de sua rotina para promover uma troca de experiências e, assim, as crianças se sentirão confortáveis para contar momentos importantes pelos quais estarão passando.

Trabalhem em seus filhos a autoconfiança, a autovalorização como seres importantes, bem posicionados, para que não tenham medo de defender aquilo em que acreditam, deixando o agressor enfraquecido... Quando mostrarem autoconfiança, acreditando em si, dificilmente serão alvo de Bullying.